Para aqueles que procuram gerenciar a própria atenção e dão a ela o valor e importância que merecem, é muito fácil perceber quando outra pessoa tem uma atenção abaixo da média ou está passando por alguma situação que está comprometendo a qualidade de sua atenção.

Quando vemos alguém que não consegue se manter atento a uma conversa; que larga as coisas sem observar se a mesma já pode ser largada; tropeça e se choca com obstáculos de seu caminho; responde de forma obtusa perguntas simples; não consegue ficar quieto, enfim, são muitos os indícios de que se está à frente de alguém que não está lidando bem com a própria atenção, seja de forma continuada ou momentaneamente.

Nessas situações, temos a possibilidade – caso desejemos e/ou achemos correto fazê-lo – de buscarmos saber se a pessoa está passando por algo que está comprometendo temporariamente sua atenção ou se esse padrão de atenção é constante. No caso de ser temporário, podemos tentar ajudá-la a reencontrar sua melhor atenção, algo que poderá ajudá-la na solução do que lhe está tirando do sério. Porém, se perceber que é algo padrão, podemos conversar a respeito da atenção com a pessoa. Trazer-lhe à consciência de que ela pode e deve buscar meios de melhorar sua atenção. Uma dica pode ser de conhecer o trabalho feito em http://www.gestaodaatencao.com

Não se omita ao encontrar atenção de baixa qualidade. Um mundo mais atento é muito mais adequado para podermos enfrentar seus desafios.