É fácil associar a atenção a fatores externos. Nossos sentidos são altamente especializados a analisarem nosso ambiente externo em busca de ameaças, oportunidades, aprendizagens, vivências, enfim, captando de fora para dentro elementos a serem por nos analisados, refletidos e assimilados – ou descartados.

Mas cabe também à atenção se voltar para dentro. Buscar uma compreensão também de nossos sentimentos, emoções e reações. Sabemos que maus pensamentos, desanimo, tristesa e outras formas internas podem nos jogar para baixo, comprometer nossa atenção, nos colocar em ciclos emocionais depressivos e dai, nos desconectar do que é bom, positivo e energizante.

É fundamental que nos analisemos, de preferência, com assiduidade! Dar aquela “parada” para olhar para dentro. Respirar profundamente e analisar tudo que estamos sentindo naquele momento. Um “defrag” emocional! Rodar o antivirus emocional para tirar de dentro de nós possíveis fontes de desanimo, más interpretações, sentimentos ruins e que podem atrapalhar nossa vida e atividades do dia, bem como as relações que passarão por nós em cada momento que tivermos, sejam esses em casa, no trabalho ou na rua.

E, além de detectar os pensamentos e sensações ruins, devemos atuar sobre elas, buscando entender por que estão ali, o que tem nos causado e como podemos lidar com elas para minimizar ou mesmo excluir seus efeitos. A nossa paz interior é fruto de nossa auto-vigilância somada aos esforços de nos mantermos equilibrados, saudáveis e conscientes de quem somos, onde estamos, como podemos nos melhorar e sermos mais úteis.

Olhe-se mais para ser melhor!