Conhecemos os três tipos principais de atenção: Focada, Difusa e Distribuída. Todos eles são importantes para que tenhamos uma vida mais atenta e de bons resultados. Treinar e aprimorar a prática de cada um desses tipos é fundamental. Mas além de sermos bons no uso dos diferentes tipos de atenção, temos de estar cientes e preparados para lidar com tudo aquilo que compromete nossa ação atencional.

Uma das coisas a destacar entre os comprometedores da boa atenção são os exercícios executados por terceiros para capturarem nossa atenção. Há muitas técnicas para captação da atenção das pessoas, algumas até mesmo questionáveis, mas tendem a ser menos eficazes quando utilizadas em pessoas que gerenciam bem sua atenção. Portanto, precisamos estar alertas a aquilo que surge desejando que nossa atenção seja direcionada a ele.

Quando nossa atenção é capturada por um foco, de imediato temos de fazer uma avaliação: esse foco merece nossa atenção? Se mesmo sendo interessante, aprazível e atrativo ele não é mais importante e necessário do que outro foco que temos naquele momento, temos a obrigação de deixá-lo de lado e voltarmos ou nos direcionarmos ao foco mais correto para aquela hora. Não podemos evitar de termos nossa atenção desviada para algum foco, mas podemos escolher permanecer nele ou não. Isso é gestão da atenção!

Outra coisa é quando percebemos que nossa atenção está sendo manipulada, ou seja, propositadamente há iniciativas nos “forçando” a olhar para determinado foco apenas para que enquanto isso acontece, outros focos passem desapercebidos. Por exemplo, shows de mágicos e prateleiras de supermercado. Nas prateleiras, os produtos que ficam na altura de nossos olhos geralmente são os mais caros. Os que estão mais abaixo nas prateleiras podem até ser tão bons quanto os outros e mais baratos, mas corre-se o risco de não serem percebidos. Já os mágicos, movimentam uma mão de forma intensa para que olhe para ela enquanto a outra mão apanha algo no bolso. Enfim, cuidado para não ser manipulado!

Nessa era das redes sociais, é preciso também cuidado pois não vemos o tempo passar e podemos acabar o dia atribulados de coisas que deixamos de dar a devida atenção e isso nos estressa, entristece e compromete nossa efetividade. Então, nada de ficar pulando de uma coisa para outra, esquecer o que é importante ou fazer escolhas de focos inadequados. Isso é altamente danoso para a qualidade e resultados de sua atenção.

Por fim, a ameaça que vem de dentro! Sim, por gostarmos de algo, podemos dar preferência a ele, deixando outros focos menos “gostosos” e mais importantes de lado. Isso é uma das causas da procrastinação! Ficamos atentos e dedicados a coisas atrativas e prazerosas, deixando o que é urgente e importante para depois. Aqui, é preciso ficar atento e ser um domador de “ego” para não deixar nossa atenção e tempo ficar centrada em coisas que poderiam e deveriam esperar o momento adequado a serem trabalhadas, concentrando e priorizando o que é mais importante e necessário.