Nem sempre os focos a nossa volta são, ao mesmo tempo, os mais importantes e agradáveis. Muitas vezes, são até antagónicos, ou seja, os mais importantes podem ser também os menos agradáveis e, portanto, se fosse por gosto, não seriam receptores de nossa atenção.

Por isso, temos de ser sábios na escolha de nossos focos! Não podemos ficar dando preferência aos que mais queremos, gostamos e sentimos prazer em realizar. É preciso maturidade e senso de urgência e importância na hora de escolher a que dar atenção.

Não se deixe levar pelos focos obesos e sem vitaminas, apenas por serem gostosos! Lembre que uma atenção saudável, nem sempre é alimentada por focos fast-food! Atenção de qualidade, acima da vontade e norteada pelo importante!