Gerenciar a atenção passa por um domínio dos tipos de atenção que dispomos e, mais do que isso, a capacidade de utilizá-los da melhor maneira possível. Hoje vamos falar sobre a atenção FOCADA!

Nesse tipo de atenção, a meta é de que se elege um e apenas um foco de atenção e se dedica a ele a totalidade de nossa capacidade de atenção. Nessa prática, nos é possível uma concentração plena, profunda e que aguça nossa intelectualidade, permitindo uma compreensão maior, bem como uma cognição mais criativa e inovadora.

Entretanto, sua prática não é simples e nem fácil, ainda mais nos dias atuais com tantas distrações e focos nos demandando atenção. Mas, se queremos ter uma atenção focada, temos de nos precaver para reduzir os obstáculos e interrupções. Daí, a escolha do local, da hora, do tempo a ser despendido e a redução dos estímulos extras e interrupções é crucial.

Tomados esses cuidados – muitas vezes contando com apoio de outras pessoas que atuarão colaborando para que tenhamos as melhores condições para nos concentrarmos -, a questão passa a ser pessoal, ou seja, dependerá do quanto a pessoa se vigiará, esforçará e persistirá na atenção focada. Nossa mente é inquieta e vai tentar nos tirar daquele foco. Teremos de evitar essa ação acalmando nossa mente antes (se tivermos tempo, uns 5 minutos de meditação será muito benéfico).

Na prática da atenção focada, devemos estar desprovidos de celulares,TVs, rádios e outros elementos dispersivos e capazes de nos interromper o raciocínio. Além disso, o conforto para que não tenhamos apelos de nosso corpo demonstrando dores ou desconfortos, elementos esse que interferem na qualidade de nosso foco. Podemos optar, se assim o desejarmos, de uma música ambiente, mas essa precisa ser instrumental e calma, ou seja indutora da concentração. Daí para frente é com a gente! Foco no escolhido e atenção para que não nos distraiamos. E caso a mente fuja, traga-a de volta rápido e com o mínimo de desconcentração. Esforço e dedicação ao foco. Busque sentimentos de satisfação por estar conseguindo se concentrar. Isso motiva a persistência e o aprofundamento. Siga focado por meia hora a quarenta minutos. Daí, faça uma parada estratégica. Levante um pouco, dê alguns passos, beba uma água, olhe pela janela, enfim se distraia um pouco e descanse a mente. Daí, retorne para outro ciclo de igual tamanho. Siga nesse ciclo pelo tempo que se dispôs a dedicação a esse foco.

Ao sair dessa atividade, procure dar um tempo – algumas horas – em atividades que demandem outros tipos de atenção que não são tão exigentes e concentradas. A mente precisa de um descanso, pois atenção focada é muito desgastante!

Gerenciar a atenção passa por um domínio dos tipos de atenção que dispomos e, mais do que isso, a capacidade de utilizá-los da melhor maneira possível. Hoje vamos falar sobre a atenção FOCADA!

Nesse tipo de atenção, a meta é de que se elege um e apenas um foco de atenção e se dedica a ele a totalidade de nossa capacidade de atenção. Nessa prática, nos é possível uma concentração plena, profunda e que aguça nossa intelectualidade, permitindo uma compreensão maior, bem como uma cognição mais criativa e inovadora.

Entretanto, sua prática não é simples e nem fácil, ainda mais nos dias atuais com tantas distrações e focos nos demandando atenção. Mas, se queremos ter uma atenção focada, temos de nos precaver para reduzir os obstáculos e interrupções. Daí, a escolha do local, da hora, do tempo a ser despendido e a redução dos estímulos extras e interrupções é crucial.

Tomados esses cuidados – muitas vezes contando com apoio de outras pessoas que atuarão colaborando para que tenhamos as melhores condições para nos concentrarmos -, a questão passa a ser pessoal, ou seja, dependerá do quanto a pessoa se vigiará, esforçará e persistirá na atenção focada. Nossa mente é inquieta e vai tentar nos tirar daquele foco. Teremos de evitar essa ação acalmando nossa mente antes (se tivermos tempo, uns 5 minutos de meditação será muito benéfico).

Na prática da atenção focada, devemos estar desprovidos de celulares,TVs, rádios e outros elementos dispersivos e capazes de nos interromper o raciocínio. Além disso, o conforto para que não tenhamos apelos de nosso corpo demonstrando dores ou desconfortos, elementos esse que interferem na qualidade de nosso foco. Podemos optar, se assim o desejarmos, de uma música ambiente, mas essa precisa ser instrumental e calma, ou seja indutora da concentração. Daí para frente é com a gente! Foco no escolhido e atenção para que não nos distraiamos. E caso a mente fuja, traga-a de volta rápido e com o mínimo de desconcentração. Esforço e dedicação ao foco. Busque sentimentos de satisfação por estar conseguindo se concentrar. Isso motiva a persistência e o aprofundamento. Siga focado por meia hora a quarenta minutos. Daí, faça uma parada estratégica. Levante um pouco, dê alguns passos, beba uma água, olhe pela janela, enfim se distraia um pouco e descanse a mente. Daí, retorne para outro ciclo de igual tamanho. Siga nesse ciclo pelo tempo que se dispôs a dedicação a esse foco.

Ao sair dessa atividade, procure dar um tempo – algumas horas – em atividades que demandem outros tipos de atenção que não são tão exigentes e concentradas. A mente precisa de um descanso, pois atenção focada é muito desgastante!