Quando fechamos nosso espectro de atenção ao contorno – espaço – de uma bolha, o que está fora dela deixa de existir.

E o que acontece?

Sua percepção e cognição fica “embolhada”, ou seja, você passa a acreditar e entender tudo a contar de um pequeno contexto da realidade e… ai de quem vier com ideias externas ou contrárias à sua bolha! (lembra um pouco o mito da caverna…)

Isso pode ser “confortável”, “alegrar a galera da bolha”, “gerar likes”… mas não deixa de ser algo limitado e tendencioso.

A boa gestão da atenção deve conhecer as bolhas, mas não deve morar dentro delas!