O dicionário online Encarta define microgerência como “atenção a pequenos detalhes na gestão: controle de uma pessoa ou situação prestando extrema atenção a pequenos detalhes”. A relação por trás dessa ação é de chefe e subordinado, ou seja, um tipo de controle externo à atividade de uma pessoa.

A Gestão da Atenção não advoga nessa praia (!). A crença que a move é de uma micro-autogestão. Uma percepção mais aguçada adquirida a contar de uma noção clara de quem se é, de onde se está, o que se quer, aliada um senso de prioridades claras e bem orientadas. A contar daí se inicia a ação pessoal de atuar respeitando esses parâmetros, além de um noção de respeito, cooperação e integração para com o ambiente e demais pessoas.

Quando se tem um autocontrole sobre a própria atenção, a perda de tempo, dispersões, distrações e mesmo as interrupções tendem a se reduzir e com ela, se segue uma maior produtividade e satisfação para com a própria performance. Com o ganho agregado de se possibilitar uma melhor relação interpessoal na medida em que se obtém nessa prática uma melhor leitura do entorno e uma postura pró-boa atenção que contagia e gera respeito à atividade e concentração de cada um.

Na medida em que se trabalhou bem a leitura dos focos ou demandas, seguida de uma análise do peso de cada uma, determinando as urgências e importâncias, se segue para uma sequência de focos. Estes focos, passam também por uma análise do tipo e intensidade de atenção, bem como do tempo esperado e adequação do ambiente para a melhor prática. Daí se segue a prática propriamente dita da atenção sobre o foco – eventualmente, a mais de um foco, desde que seja uma atenção dividida viável. Durante o foco, dependendo do tipo, há um processo de controle do mesmo para que não se deteriore em termos dos resultados esperados. E, por fim, a hora de dar um novo giro, ou seja, de fazer uma reanálise dos focos no entorno, ponderação, escolha, prática… enfim, o ciclo atencional se repetindo em busca de se fazer o que se deve fazer, nos focos adequados e da melhor forma atencional possível.

Grande parte disso acontece de dentro para dentro. A micro-autogestão ocorre de forma natural, sem exageros de tensão, pressão e auto-julgamento. Um exercício atencional sadio e produtivo. Mas, há muito mais a saber sobre os ciclos atencionais…