Adam Grant é um escritor da área de gestão altamente admirado e que tem um blog super seguido e vídeos na TED com milhares de visualizações. É um sujeito muito respeitado e tem como foco a questão do mundo do trabalho, em especial, no tocante à produtividade e satisfação. Foi com grande satisfação que vimos o mesmo abordando o tema da Gestão da Atenção. Dai, resolvemos tirar algumas partes para uma análise aqui em nosso blog!

·         “Produtividade não se trata de gerenciamento de tempo. É sobre gerenciamento de atenção”

Aqui, já no título, se vê que não dá mesmo para querer afirmar que gestão do tempo e da atenção são sinônimos. Nós aqui pregamos que a a Gestão da Atenção inclui a Gestão do Tempo e que o contrário não é verdadeiro!

·         “Depois de duas décadas estudando a produtividade, me convenci de que o gerenciamento do tempo não é uma solução – na verdade, é parte do problema”

Temos a ideia, talvez não racional, de que o bom e o certo é estarmos sempre agitados e com várias demandas, nos apresentando como pessoas importantes por sermos altamente ocupados. Dai, passamos a gerenciar o tempo para fazermos mais com menos tempo, o que Adam chama de alcançar o nirvana da produtividade. Mas, segundo ele, isto apenas nos deixa mais conscientes de quantas horas perdemos.

·         “Uma opção melhor é o gerenciamento de atenção: priorize as pessoas e os projetos que importam, e não importa quanto tempo leve. O gerenciamento da atenção é a arte de focar em fazer as coisas pelos motivos certos, nos lugares certos e nos momentos certos”.

Vejam só: Priorizar as pessoas e os projetos e não o relógio! Show demais esta afirmação dele! E a definição então? Disse tudo! “Gerenciamento da atenção é a arte de focar em fazer as coisas pelos motivos certos, nos lugares certos e nos momentos certos”. Fazer o que tem sentido fazer, onde e quando for melhor! Foco, timing e bom senso… Isto é Gestão da Atenção!

·         “Nossas dificuldades de produtividade são causadas não por falta de eficiência, mas por falta de motivação. A produtividade não é uma virtude. É um meio para um fim. Só é virtuoso se o fim for digno. Se produtividade é sua meta, você precisa confiar na força de vontade para se esforçar para realizar uma tarefa. Se você prestar atenção ao motivo de estar animado com o projeto e quem se beneficiará dele, será naturalmente atraído para ele por uma motivação intrínseca”.

A produtividade tem de estar casada com a motivação e sentido. Quando temos isto, tudo flui! Nem precisamos nos preocupar com distrações e interrupções. Nós acabamos chegando lá, e bem!

·         “Uma série de estudos liderados por Julia Lee (agora em Michigan) mostra que o mau tempo é bom para a produtividade porque temos menos probabilidade de nos distrairmos com a ideia de sair de casa. Os pesquisadores descobriram que, nos dias em que chovia, os funcionários do banco japonês concluíam as transações mais rapidamente

Portanto, o onde e o entorno podem ser representativos em termos da qualidade de sua ação em termos de sua atenção. O engraçado foi a descoberta que optando por fazer uma atividade desagradável no lugar de uma agradável faz surgir o “resíduo de atenção”, ou seja, nossa mente ao fazer o que é “chato” fica nos remetendo para as coisas agradáveis, interrompendo nosso foco e portanto, a qualidade e o tempo de produção. E tem ainda o “efeito de contraste” que é o quando saimos de uma atividade altamente agradável e motivante para uma enfadonha, não temos muito sucesso na mesma. A recomendação dele é fazer uma atividade de mediana motivação e depois dela, pegar a enfadonha, com a promessa pessoal de que depois dela fará uma muito interessante e agradável. Uma recompensa pela superação!

·         “A produtividade e a criatividade exigem estratégias de gerenciamento de atenção opostas. A produtividade é alimentada pelo aumento dos filtros de atenção para manter os pensamentos não relacionados ou perturbadores de fora. Mas a criatividade é alimentada pela redução dos filtros de atenção para permitir a entrada desses pensamentos”.

Sim! Há um tipo de atenção mais adequado para cada objetivo. Se deseja produzir algo de qualidade, com profundidade e alta pertinência, precisa trabalhar sua atenção para que ela seja o mais focada possível. No entanto, se quer ser criativo, tem de fazer justamente o contrário! Quanto mais sua atenção for difusa, melhor para criar. Sem saber disso e como fazer isto, não poderá ir muito longe nestes dois objetivos! Ele até mostra uma ideia de ter o dia do gestor e o dia do fabricante. No dia de gerenciar, trabalhe com a atenção menos focada e atuando sobre diferentes prioridades e objetivos. No dia do fabricante, foco na atividade de produção! É difícil fazer isso, mas é uma boa dica!

·         “Se você está tentando ser mais produtivo, não analise como você gasta seu tempo. Preste atenção no que consome sua atenção”

Essa foi mesmo para fechar! A verdadeira essencia da gestão da atenção! Sendo a atenção algo limitado e precioso, a melhor coisa a fazer é buscar meios de que ela lhe traga o melhor resultado, seja em termos de produtividade quanto de satisfação! Há muitas dicas, técnicas e mesmo crenças que ajudam a se chegar neste patamar atencional e isto você encontra por aqui… @gestaodaatencao

Obrigado Adam Grant, você fez o nosso dia!